Portal Escritores

Tenho sede

                        Tenho sede

 

Não do líquido que por sua falta leva o corpo à desidratação, mas daquela que inflama a carne, e no suordos corpos, já fez Eva valer mais que o paraíso, quando expôs suas polpas proibidas a Adão; que já fez o desejo do Faraó ser maior que a honra de Abraão, que já fez o grande Davi, pelo corpo de Bate-Seba, sujar sua honra e por em risco sua unção; que já fez até o mais sábio dos homens, Salomão, perder o equilíbrio, e se lhe fosse opcional, trocaria seu harém pelo corpo da rainha de Sabá, mesmo este harémlhe oferecendo mil mulheres, entre esposas e concubinas. Ah! Como deve ter ardido o ciúme de Abraão, o desejo de Salomão e a dor do rei grego Menelau, que sentiu dor maior que Aquiles ao saber que os ingredientes de sua Helena foram ser deliciados por outro paladar. E quanto a mim... um ser comum e pequeno em sabedoria? Ah! Treme o corpo, arde o peito, vai-se o chão, vai-se a razão... e fica o santo e maldito desejo a mendigar as porções das proas e  das bordas proibidas.

Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
josue firmino
Escrito por:
josue firmino
Escritor

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 31 de Janeiro de 2013

Atualizado em 27 de Outubro de 2013

Já foi visto 782 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Teoria Literária


781
Leram
0
Vão ler

Textos do Mesmo Autor
Renascer...

Por josue firmino

Queria ser

Por josue firmino

Como estou!? (Aos Céus)

Por josue firmino

Eu te peço

Por josue firmino

Aos ventos

Por josue firmino