A flor central do jardim

Vulgdd Dozuify Vulgdd Dozuify 15 de Fevereiro de 2013

Um regador age com retidão todos os dias, chuva passageira molha a calçada da dona de casa que logo cedo prepara a refeição. Restos mortais expostos na porta do morador de número 13, mais uma vida que começa a ser brilhante.

Privilégio que não tem fim e sofrimento igualado. Pontes quebradas no começo do caminho e mais motivos de preparo para a guerra fria entre ursos polares. O caso do crime que foi oposto ao caso resolvido ainda continua desaparecido.

Restos mortais na frente da casa do general de número 8 do arranjo sem fundamento. Mais uma louca noite que se passa e mais uma briga feita por inveja, e mesmo assim ainda que ninguém perceba não estamos juntos ou separados, apenas não estamos vendo tudo que está se passando.

Attachment Image
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao user original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Denuncie conteúdo abusivo
Vulgdd Dozuify ESCRITO POR Vulgdd Dozuify Escritor
Carneiros - AL

Membro desde Junho de 2012

Comentários