Portal Escritores

Quase impercebível

Quase impercebível

 

     Ah! Só hoje; só hoje é que a mente cedeu espaço para que, o que vai reflita e agradeça ao que fica. E quero de maneira mais sincera e profunda dizer que a nada e a ninguém poderia dedicar tamanho empenho, mesmo sabendo que não conseguirei expressar tudo que mereces ouvir, pois foste e és o mais perfeito e obediente diante de todas as minhas vontades, caprichos abusivos e volúpias vãs, até com ousadia mister de quem ignora a disposição alheia.

     Ah corpo! Como podes ser tão fiel a quem faz tanta exigência e até força à perfeição? Sabes que o próprio, não daria tanto sem algo em troca receber. Quando lembro que nunca me disseste um não, sinto em tua pele o quanto te devo em gratidão. Quando cansado, sem poder corresponder, ainda tinhas que ouvir murmúrios de quem por vezes, e por muitas vezes, não teve a capacidade de entender o quanto és apenas carne e osso num universo de uma natureza infrene onde tudo é transformável.

     Nunca me desloquei sem necessitar de ti; mesmo nas mínimas locomoções, nos pequenos gestos e até no soltar de uma lágrima ou no ar de um sorriso, precisei que correspondesse a essa expressão. Já nas longas e duras jornadas, aí então, não tenho as necessárias palavras que possam mencionar o quanto foste companheiro irmão, tipo dois em um, enquanto viver. Agradeço também ao tempo, mesmo no final, pelo instante reflexivo e voltado para aquele que de mim nada exigiu.

     Hoje irei, mas fique com a certeza de que alguém jamais teria sido tão prudente.

Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
josue firmino
Escrito por:
josue firmino
Escritor

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 06 de Agosto de 2013

Atualizado em 29 de Junho de 2015

Já foi visto 620 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Teoria Literária


616
Leram
0
Vão ler

Tags

Textos Relacionados
Toma-me No Teu Colo

Por Jessica Carla

Rever

Por josue firmino

Pez

Por Majal San

Era UMA vez:

Por josue firmino

No seu aro

Por Majal-San

Textos do Mesmo Autor
Manipulação da fé

Por josue firmino

"Ovelhas" do Pai

Por josue firmino

Norte-Sul. E o sentido?

Por josue firmino

Folhas em branco

Por josue firmino