9º Encontro dos Escritores
Portal Escritores

OBLÍQUO


Vibra a sua voz dentro do meu peito que num estalo se acalenta. Cálida sensação do seu timbre nas minhas veias, esquentando em fagulhas pecados embaixo da minha pele. Se eu pudesse te ouviria cantar e contar todas as histórias do teu mundo. Fosse sobre tua queda na esquina lá de casa ou de quando as estrelas pararam pra ver o brilho dos teus olhos. Eu seria pra ti ouvidos e em ti a alma se quisesse dançar. Seria tuas asas, o teu apelo, a porta aberta, os braços esvoaçantes, escancarado som de montanha que se move sobre a água. Suspiro que és amado, mas não meu. E como quero, como espero, como almejo usar oblíquo para me referir a ti. Sonora vontade, mais que desejo, como ar e terra que num beijo se empoeiram, evolam e desfazem.

Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
Letícia Pontes
Escrito por:
Letícia Pontes
Escritora

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 02 de Dezembro de 2013

Já foi visto 579 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Pensamentos


569
Leram
0
Vão ler

Tags

Textos Relacionados
Sentimentos

Por Victor Cardoso

QUEM SABE A GENTE SE ENCONTRE

Por Letícia Pontes

Sob a sombra

Por Ramon Silva

Conversando com o Vento

Por Paulo Roch'S

Textos do Mesmo Autor
PERSISTIR

Por Letícia Pontes

MELANCOLIA

Por Letícia Pontes

DEZEMBRO

Por Letícia Pontes

QUEM SABE A GENTE SE ENCONTRE

Por Letícia Pontes

MARÉ DE AGOSTO

Por Letícia Pontes