Portal Escritores

Texto de Final de Ano 2013

 

"A paz do mundo começa em mim. Se eu tenho amor, com certeza sou feliz. Se eu faço o bem ao meu irmão, tenho a grandeza dentro do meu coração. Chegou à hora d'agente construir a paz, ninguém suporta mais o desamor. Paz pela paz... pelas crianças; paz pela paz... pelas florestas; paz pela paz... pela coragem de mudar. Paz pela paz... pela justiça; Paz pela paz... a liberdade; Paz pela paz... pela beleza de te amar.”

Nando Cordel

 

Maceió ─ AL, dezembro de 2013.

Precioso é o Natal pela comemoração mais sublime do ano, onde a imaginação se faz mais aflorada. E melhor que isso é ver sorrisos nos rostos de quem está se deixando levar pelo espírito natalino. Bom mesmo se alegria do Natal não fosse exaltada uma vez por ano, mas vivenciada todos os dias para melhor reanimar a nossa vida, lapidando a maneira de sermos e peneirando os acontecimentos. Recheando os momentos de emoções, pensamentos, sentimentos e histórias para depois serem contadas e revividas. Irmão(ã), é tempo de viver, e mais ainda, saber viver. De admitir que nas superações dos obstáculos que nos ocorre desfrutamos o sabor do orgulho por existir. É verdade que dia após dia o sol renasce para todos, embora o dia só possa ser iluminado se assim quisermos, e, nos milagres de cada amanhecer, há quem agradeça pelo brilho de luz que clareia o olhar. Há quem possa sorrir largamente. Há quem se esqueça de agradecer ou não queira, simplesmente para não perder os instantes. As manhãs desse mês não passam de contagem regressiva para solenidade do Natal, e as noites são cintiladas com enfeites nas ruas e nas casas para melhor aguardar a chegada e, ao mesmo tempo, começar a preparar nosso interior para receber o maravilhoso encanto recheado de bens afetivos. O mês que adultos planejam festejos e crianças aguardam a chegada do Papai Noel com presentes (bela imaginação). Entretanto, mesmo com toda essa expectativa, não esqueçamos o que ficou para trás, pois devido a ele é preciso clamar mais pela paz que ainda não vivemos universalmente. É fato que “chegou a hora d’agente construir a paz” e não esperar pela ação do outro, paz que não deve ser exigida do outro sem antes partir de nós mesmos. É bom viver fazendo o bem, pois como (ou)vi certa vez num filme: "Tempos difíceis estão por vir e, em breve, teremos que escolher entre o que é certo e o que é fácil". É necessário se perguntar agora: “quanto tempo eu tenho?”. Para caminhar na esperança de um Ano Novo, que a de vir, repleto de dias para reflexões onde podemos trabalhar a nossa paz e o nosso convívio. O interno influência no externo. O acalento pessoal quando bem degustado é preciso ser compartilhado não apenas no Natal ou Reveillon, naqueles apertos de mão e abraços fraternos (alguns), e, sim, nos gestos cotidianos ao próximo, enxergando nele seu lado humano, fazendo com o outro o que gostaria que a si fosse feito durante todas as estações. Afinal festas de calendário passam e se repetem, mas se colocarmos em prática os sentimentos francos o tempo todo, sem esperar uma época até o fim do ano, saímos do parâmetro comum para uma comemoração constante de bem estar. É preciso ambicionar para o novo ano a sinceridade trabalhada para que seja bem pronunciada. A sinceridade precisa ter aprimoramento quando falada, e, mais ainda, quando ouvida. Não basta falar, tem que aprender a ouvir, já que não adianta pensar/dizer que não gosta de falsidade, uma vez que acabamos nos chateando com a sinceridade falada mesmo que de forma sensata. Caríssimo(a), compartilho minha paz através desta mensagem, demonstro sinceridade em cada palavra. Que neste Natal a tranquilidade reine sobre você e lhe traga afeição; Que no Ano Novo, de 2014, a esperança – esperançada – lhe faça superar as dificuldades; Que a alegria, o carisma e a caridade, a saúde, a humildade e o eterno amor estejam com você e com todos que puder partilhar os mesmos. Contudo “quem dera se pudéssemos esquecer as mágoas, as raivas e os rancores do passado e pudéssemos somente pensar de forma alegre: Como é bom amar e ser amado; como é bom viver e ser feliz!”.

 

Esperando que, juntamente com os seus, esteja sempre bem,

Clemerson Luís Silva

Autor / Estudante de Psicologia – FITS / clemerson.luis@live.com

 

Feliz Natal e Alegre Ano Novo!

 

Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
Clemerson Luís Silva
Escrito por:
Clemerson Luís Silva
Escritor

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 17 de Dezembro de 2013

Já foi visto 1,582 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Mensagens


1,491
Leram
0
Vão ler

Tags

Textos Relacionados
Naquele instante

Por josue firmino

Senão

Por josue firmino

Coragem

Por Majal-San

Uma Crítica à Vida

Por Claudenor de Albuquerque

Nossos ecos

Por josue firmino