Portal Escritores

O OUTRO LADO DA SOCIEDADE

Ó pai, que vida desse povo,

Que sofrem calados as dores que o dominam,

Veem passar diante de seus olhos

O dia, à noite, ah! Que sina!

Perambulando nas ruas da cidade,

Caminhando aflitos sem direção,

Com a garganta seca, sem umidade

E um ronco na barriga, por falta de um pão.

Muitos chegam a pedir auxílios,

Pois já não suportam mais a vida,

Outros procuram esquecer as dores

Através de um gole de bebida.

Ah!  Meu Deus, que vida de agonia!

Que sentimentos provocaram esta sina

Que mal fizeram esta gente,

Para viverem nas calçadas das esquinas.

Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
Bezerra
Escrito por:
Bezerra
Escritor

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 07 de Janeiro de 2015

Já foi visto 479 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Poesias


463
Leram
0
Vão ler

Tags

Textos Relacionados
Tão frio aqui

Por AdrianoRockSilva

O verdadeiro Poeta

Por Claudenor de Albuquerque

Hell

Por AdrianoRockSilva

Soneto sem esperança

Por Leonardo Jordão

PRESOS

Por Lucélia Pontes