O INSTANTE

Erisvaldo Vieira Erisvaldo Vieira 11 de Março de 2015

Touro bravo, essência pulsante.
Mistério jamais revelado.
Olhos que piscam,
Bocas que se abrem, sorriem...
Mãos que se apalpam,
Braços que se abraçam...

E, quando o instante inexiste,
Matéria inerte, touro estático, dominado,
Essência de cheiros terminais,
Olhos que desmaiam,
Boca seca, imóvel.
Mãos que se cruzam,
Braços que dormem... sem a menor chance de acordar...

Nesse instante, deixou de ser o instante,
Entre os milhares de outros instantes que ficaram. 

Denuncie conteúdo abusivo
Erisvaldo Vieira ESCRITO POR Erisvaldo Vieira Escritor
Arapiraca - AL

Membro desde Julho de 2012

Comentários