Tema Acessibilidade

Viu o home?

• Atualizado
Acaba de ser publicado o livro “Viu o home?”, de autoria de Ronaldo Pereira, escritor alagoano mais conhecido como Ronperlim. O livro é uma coletânea de crônicas e alguns contos publicados no site Tribuna da Praia desde 2007.
Ronperlim tem como inspiração o Baixo São Francisco Alagoano e Sergipano para compor seus personagens e ambientes. 
A expressão “Viu o home?” é comumente usada nas pequenas cidades do interior alagano e sergipano. O “home”, neste caso, trata-se daquele que é visto como capaz de solucionar problemas de caráter político e eleitoral, mesmo que para isso seja necessário quebrar regras, desrespeitar costumes e violar leis.  É aquele que exerce o poder político e é conhecido da população. 
É alguém supervalorizado, endeusado, cobiçado pelas vantagens que pode propiciar. Por isso não lhe falta camarilhas, financiadores, nem os paparazzi das línguas. 
O home é a expressão centralizadora, de decisão final, de liberação, de benefícios, favores, repreensão, afronta, crueldade, perseguição e endeusamento atribuídos aos empregados eletivos. 
Sobre o autor:
Ronperlim é autor de diversos textos espalhados pela internet, impressos em antologias e alguns jornais. É autor de vários livros, dentre eles, Laura (Prêmio Alina Paim em 2011) e A menina das queimadas que se encontra na segunda edição (2014). Para saber mais sobre o autor, acesse o blog: ronperlim.com.br/.
Ficha do livro:
Titulo: “Viu o home?”
Autor: Ronperlim
Editora: Letras e Versos
Nº páginas: 87
Preço: R$ 20,00
Contato: [email protected]
Fonte: http://jornaldealagoas.com.br/pop-e-arte/992/2015/04/24/-lancado-o-livro-viu-o-home-do-escritor-alagoano-ronperlim 
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados ao autor. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
0
1,4 K visualizações •
Atualizado em
Denuncie conteúdo abusivo
ronperlim ESCRITO POR ronperlim Escritor
Porto Real do Colégio - AL

Membro desde Março de 2010

Comentários