Portal Escritores

Veneno


Eu gosto do veneno

Que mesmo sabendo 

Que isso vai me levar à morte 

Não escapo ao meu intento 

E ao mesmo tempo rindo 

Da minha desgraçada sorte. 

Eu tenho de dizer a mim mesmo:

  “Que não gosto do ópio” 

Quero me livrar, mas na primeira oportunidade 

Rendo-me sem questionar e me vejo 

Pela última vez nos teus braços!

Ou quem sabe 

Até a próxima chance de te ver e sofrer.

Talvanes Faustino

Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
Talvanes Faustino
Escrito por:
Talvanes Faustino
Escritor

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 22 de Março de 2016

Já foi visto 503 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Poesias


503
Leram
0
Vão ler

Tags

Textos Relacionados
Amigo da cobra

Por Talvanes Faustino

Arena Romana

Por m.elena.costa

Remorso

Por Claudenor de Albuquerque

Súplica Póstuma

Por Claudenor de Albuquerque

Textos do Mesmo Autor
Rotina

Por Talvanes Faustino

Atrapalhado

Por Talvanes Faustino

Naiade

Por Talvanes Faustino

Golpe Palaciano

Por Talvanes Faustino