Portal Escritores

TRADUZINDO-ME


(Parodiando Ferreira Gullar)
 
Uma parte de mim é calmaria,
a outra parte é chuva e ventania;
uma parte de mim é solidão,
outra parte é barulho, é multidão.
 
Uma parte de mim segue a emoção,
outra parte caminha pela razão;
uma parte de mim é corajosa,
outra parte é prudente e temerosa.
 
Uma parte de mim é litoral,
outra parte de mim é só sertão;
u'a parte de mim é sentimental,
outra parte é mais dura do que o chão.
 
Uma parte de mim é tão idosa,
outra parte de mim inda é criança;
uma parte de mim é tão teimosa,
outra parte é calma... é temperança!
 
Uma parte de mim é de direita,
outra parte de mim: socialista;
uma parte de mim não é perfeita,
outra parte modela, o seu artista.
 
Uma parte de mim é utopia,
outra parte de mim - realidade;
uma parte de mim é antipatia,
outra parte é amor, fraternidade.
 
Uma parte de mim é poesia,
outra parte é prosa cotidiana;
uma parte de mim é melancolia,
outra parte é alegria soberana.
 
Porém minha vida só se completa
quando estás ao meu lado - oh minha amada!
Pois longe da vida deste poeta,
minh'vida se parte - não sobra nada!...
 
Antonio Costta
TRADUZINDO-ME
(Parodiando Ferreira Gullar)

Uma parte de mim é calmaria,
a outra parte é chuva e ventania;
uma parte de mim é solidão,
outra parte é barulho, é multidão.
Uma parte de mim segue a emoção,
outra parte caminha pela razão;
uma parte de mim é corajosa,
outra parte é prudente e temerosa.

Uma parte de mim é litoral,
outra parte de mim é só sertão;
u'a parte de mim é sentimental,
outra parte é mais dura do que o chão.

Uma parte de mim é tão idosa,
outra parte de mim inda é criança;
uma parte de mim é tão teimosa,
outra parte é calma... é temperança!

Uma parte de mim é de direita,
outra parte de mim é comunista;
uma parte de mim não é perfeita,
outra parte modela, o seu artista.

Uma parte de mim é utopia,
outra parte de mim - realidade;
uma parte de mim é antipatia,
outra parte é amor, fraternidade.

Uma parte de mim é poesia,
outra parte é prosa cotidiana;
uma parte de mim é melancolia,
outra parte é alegria soberana.

Porém minha vida só se completa
quando estás ao meu lado - oh minha amada!
Pois longe da vida deste poeta,
minh'vida se parte - não sobra nada!...

Antonio Costta







































Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
Antonio Costta
Escrito por:
Antonio Costta
Escritor

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 09 de Maio de 2016

Atualizado em 07 de Maio de 2020

Já foi visto 827 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Poesias


827
Leram
0
Vão ler

Tags

Textos Relacionados
Estrada sem fim

Por Victor Cardoso

Hospedaria

Por Eduardo Proffa

Estrada Sem Fim.

Por Victor Cardoso

Homenagem ao Grande Amor

Por Claudenor de Albuquerque

Cínico

Por Emanuel Galvão

Textos do Mesmo Autor