Tema Acessibilidade

SEGUNDO O HISTORIADOR PERNAMBUCANO FERNANDO GAMA, O BRASIL FOI DESCOBERTO EM SÃO MIGUEL DOS CAMPOS - ALAGOAS E NÃO EM PORTO SEGURO NA BAHIA.

• Atualizado

Na história está escrito que o Brasil foi descoberto no dia 22 de abril de 1500 por Pedro Álvares Cabral.

Já o historiador pernambucano, Fernando Gama, relata que a data está correta. Porém, o local onde o Brasil foi descoberto há controvérsia.

O que ocorre é que a historiografia escrita sobre o local do descobrimento não coeincidi com que está escrito na carta de Dom Pero Vaz de Caminha. Segundo os pesquisadores, o monte que Cabral avistou, não foi o "Monte Pascoal".

Em um novo estudo feito pelos pesquisadores, eles chegaram a uma conclusão, que o monte que Cabral indetificou foi a Serra Nacêa (Serra dos Pargos), localizada entre os municípios de Boca da Mata e Atalaia.

Baseado nos escritos de Dom Pero Vaz de Caminha, o descobrimento do Brasil, não se deu em Porto Seguro na Bahia, mas em São Miguel dos Campos, Alagoas, entre Jequiá da Praia e Coruripe, próximo às falésias da praia de jequiá.

Esse fato chegou a ser discutido nas universidades de Alagoas entre acadêmicos, professores e pesquisadores, mas sem nenhuma solução.

Vários escritores e pesquisadores escreveram sobre o assunto, alguns deles publicaram em livros. Mas, infelizmente, nada se pode fazer, quanto a isso, pois não tem como mudar a historiografia do Brasil.

Outro fato que está em discussão é o assassinato do Bispo Dom Pero Fernandes Sardinha.

Segundo os historidores a Nau Nossa Senhora da Ajuda naufragou na foz do rio Coruripe, nos baixios de Dom. Rodrigues. Mas o ritual de antropofágico, aconteceu na próximidade da Igreja de Nossa Senhora de Santana na Barra de São Miguel, distrito de São Miguel dos Campos.

Por sinal, no local onde o bispo foi assassinado pelos índios Caetės há um formato de um círculo, provavelmente onde eles fizeram o banquete. Neste local, nunca nasceu um pé de mato.

Também existe outra tese, que diz, que o Bispo Sardinha não foi morto pelos índios Caetés e sim pela guarda do Governador Geral da Província de Pernambuco, Duarte Coelho da Costa, a quem Sardinha vinha criticando publicamente, devido as desavenças praticadas pelo filho, Álvaro da Costa.

E para não perder o cargo, o governador aproveitou da ocasião e culpou os índios, que pagaram o pato sem merecer, todos foram mortos inocentementes, por ordem do Coroa Portuguesa.

Todas essas informações estão escritas e documentadas e guardadas na Torre do Tombo, na cidade de Lisboa, em Portugal.

( Texto escrito por Ernande Bezerra de Moura )

0
2,5 K visualizações •
Atualizado em
Denuncie conteúdo abusivo
Ernande Bezerra ESCRITO POR Ernande Bezerra Escritor
São Miguel dos Campos - AL

Membro desde Junho de 2011

Comentários