Portal Escritores

Mas, que maldade!

 

 

Teimoso que sou,

vim dar um alô.

Senti saudades.

 

Teimosa que és,

não disseste “yes”.

Que maldade!

 

Teimoso que sou,

continuo “bolor”.

Que insanidade!

 

Teimosa que és,

poeta aos pés.

Mas, que maldade!

Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
Majal-San
Escrito por:
Majal-San
Escritor

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 07 de Agosto de 2018

Já foi visto 219 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Poesias


219
Leram
0
Vão ler

Tags

Textos Relacionados
Impetuoso

Por Majal-San

O QUE DIZER DA SAUDADE

Por Sérgio Moraes

Bem ali

Por Majal-San

Saudade

Por Claudenor de Albuquerque

Textos do Mesmo Autor
PPP

Por Majal-San

Contradição

Por Majal-San

Caminhando

Por Majal-San

Acalanto

Por Majal-San

1º Ato

Por Majal-San