Portal Escritores

Estrada sem fim


Viajando Com um desconhecido,

Tão desconhecido, que disfarçaste de amigo.

Até parece que o conheço a milhares de anos

Com uma pele limpa e olhar misterioso

Disfarça-se  muito bem em torno de todo mal,

Que o libera.

Ceifando vidas, segue sem jamais ser o suspeito.

Trazendo agonia de forma tão dolorosa a ser feito,

Com seu martelo quebra os ossos de suas vitimas

E diante de meus olhos,

O vejo destruindo tudo e a si mesmo

Seguindo numa estrada sem fim

Te olho decapitando a si proprio

Seu olhar não é mais tão misterioso

Escondo-me atrás da arvore que ali vejo

E vejo que não pode mais causar mal algum

Pois a agonia de todos que fizestes mal,

Acabou te fazendo o maior mal,

Foste decapitado por si mesmo.



Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
Victor Cardoso
Escrito por:
Victor Cardoso
Escritor

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 17 de Outubro de 2018

Já foi visto 52 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Poesias


52
Leram
0
Vão ler

Tags

Textos Relacionados
Eu Acredito No Amor

Por José José Gomes

Dia das mães

Por Poeta1960

Pessoas em nossa vida

Por Penélope SS

Interior Vermelho

Por Talvanes Faustino

Textos do Mesmo Autor
Irresoluto

Por Victor Cardoso

Sentimentos

Por Victor Cardoso

Estrada Sem Fim.

Por Victor Cardoso

Turma.

Por Victor Cardoso

Amor- Até o fim dos tempos.

Por Victor Cardoso