Portal Escritores

Fragilizada

Lastimou no mais forte
brilho de alabastro
Afogou-se no
Ardente sangue

Os teus cantos
Reboavam em meus ouvidos.

Teu suor é fonte
De prazeres
Teu horizonte bebe
Loucamente,
Meu choro,meu pranto.
Teu corpo cabalístico
Teus olhos hialino
Teu sofrimento
Gritante e oculto.

Tua alma cerval e nua
Se prorrompeu
No mais belo e triste
Mar austero.

 
















Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
Ana Lívia
Escrito por:
Ana Lívia
Escritora

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 03 de Novembro de 2018

Já foi visto 47 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Poesias


48
Leram
0
Vão ler

Tags

Textos Relacionados
Golpe Palaciano

Por Talvanes Faustino

O Amor Acordou Sorrindo

Por José José Gomes

Pedido

Por Penélope SS

Restos de Palhaço

Por Brenda Barreto