Portal Escritores

Esconderijo vermelho

 

 

 

Não rimo a rima certa e nem a incerta.

Faço a união do que me angustia

nesse exato momento

e assim trafego entre o que seria poesia

e a inutilidade de ser poeta inválido.

Fora de mim a obrigação das redondilhas

e das assonantes.

Fora todos os lápis do estojo.

Apenas me deixem com minhas tintas

primárias e minha folha encadernada.

De resto, levem tudo...

e fechem todas as portas quando saírem,

para que os cães famintos

não consigam me farejar

aqui dentro de mim mesmo.

 

 

Penélope SS

21-12-17  10h:50

Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
AdrianoRockSilva
Escrito por:
AdrianoRockSilva
Autor

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 20 de Novembro de 2018

Já foi visto 18 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Poesias


18
Leram
0
Vão ler

Tags

Textos Relacionados
Talvez Eu Seja Louco

Por Luangelys De Paula

Dias sem noção

Por Leonardo Jordão

Garoto da turma

Por AdrianoRockSilva

Textos do Mesmo Autor
A Henrique VIII

Por AdrianoRockSilva

A marca (A Eliseu Silva)

Por AdrianoRockSilva

EU

Por AdrianoRockSilva

explicação

Por AdrianoRockSilva

Querer-lhe bem

Por AdrianoRockSilva