Portal Escritores

A noite do Digão.

 
 
Meia noite e meia, acusou um alarme ao longe. No horizonte a Lua Nova nesse momento esparramava sobre a Terra claridade tão intensa, que a lâmpada queimada, no poste, passou despercebida. Digão subia a rua deserta caminhando solitário pela calçada quando um perfume sedutor conduzido pela brisa roçou-lhe as narinas. Aquele aroma atraente atiçou-lhe os instintos. Atrás de desvendar a direção e a fonte da tentação ele parou no meio do caminho, elevou a cabeça, aspirou fundo e descobriu que a origem do cheiro estava logo adiante, nalgum ponto mais além.

Quando Digão abandonou o conforto da sua cama para dar uma volta pela vizinhança, queria apenas esticar as pernas e perambular pela cercania, e saiu de casa, sem pretensão alguma, mas, agora, não. Agora havia um motivo forte à sua frente para ele estar ali, motivo esse que mudaria a sua vida completamente.

Levado pelo instinto continuou avançando na direção do bálsamo afrodisíaco e por nada neste mundo haveria de perdê-lo. Na medida em que ele se adiantava, percebia que o cheiro ficava intenso cada vez mais. Logo que ele se abeirou do muro, na divisa de um terreno baldio, de cara enxergou Lola do lado oposto com os olhos atentos aos seus. Estacou de pronto e, sereno, certificou-se de que eles estavam a sós. Lola permaneceu como estava, parada e vidrada em Digão. Este, com o coração apertado, aproximou-se dela com cautela e demonstrando afeição.

Lola, no cio, já sabia o que iria rolar, e estava ali, naquele local, àquela hora, justamente pelo que prometia esse encontro, e para facilitar as coisas, ronronou baixinho. Digão, agora cheio de confiança, roçou a cabeça em seu pescoço. Ela retribuiu o carinho e se abaixou submissa. Digão então trepou nas costas de Lola, mordeu-lhe o pescoço com vontade...

Nesse instante, uma nuvem espessa encobriu a Lua, a noite mergulhou no escuro e nada mais se viu. Mas se ouviu: longos miados lascivos repletos de puro prazer e volúpia noite adentro por minutos sem fim.

Foi assim...
 
 
Dilucas










Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
Dilucas
Escrito por:
Dilucas
Autora

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 04 de Fevereiro de 2019

Atualizado em 18 de Fevereiro de 2019

Já foi visto 173 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Contos


173
Leram
0
Vão ler

Tags

Textos Relacionados
Textos do Mesmo Autor
Novo Presidente

Por Dilucas

Desempregado

Por Dilucas

A Montanha

Por Dilucas

Bendito Amor

Por Dilucas