Portal Escritores

Arrasando a ortografia ...

 

Minina fulô eu te quero bem,

minina fulô quêra a eu também.

Adispôis qui ti vi apertô u coração,

tive tremedera, perdi a razão.

 

Sáminina eu só quero seu bejo,

pódi sê currido qui nin relampejo,

eu quéru essa lembrança levá,

pra ficá cumígu inté nóis si casá.

 

Si seu pai nun mi quisé,

nun tem pobrema, vosmicê é muié.

Muié i homi si casa. Oxênti!

Issé nu mundo, aqui i nu oriênti.

 

Nóis pódi inté pensá in fugí

Si vosmicê quisé, amaiã vêniu aquí,

pôniu túdu nu meu matulão,

sáminina sóbi, i nóis galopa nu alazão.   

 

Ti inscrevo essa carta apaixonádu,

peço qui risponda bem apressádu.

Pur favô num mi diga não,

pois si fizé morrerei di paixão.

 

Termínu múitu insperançôzu.

mi aceiti mesmu sin eu sê formôsu,

tênio terra, gádu, pastágis,

câna di açúca, casa i muágis.

 

Será túdu teu, i quându teu pai morrê,

Serêmus us mais rícus, tu vais vê.  

Já tô vêndu nóis i us minínu,

Rícus, viajandu cum us granfínu.

Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
Paulo C Freire
Escrito por:
Paulo C Freire
Escritor

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 29 de Dezembro de 2019

Já foi visto 31 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Poesias


31
Leram
0
Vão ler

Tags

Textos Relacionados
Esses sentimentos

Por Majal-San

Motivação à Prima

Por Wagnner Ruan

ELA É TUDO QUE EU PRECISO

Por Cícero Manoel

A Carta

Por katia lima

OS LÁBIOS DELA

Por Cícero Manoel

Textos do Mesmo Autor
O Contador de “Causos”

Por Paulo C Freire

Uma Santa Devoção

Por Paulo C Freire

Coisas ...

Por Paulo C Freire

CREPÚSCULO NA ROÇA

Por Paulo C Freire

Tudo vale e importa

Por Paulo C Freire