Portal Escritores

Viver, viver, viver


 

Precisaste de ombro pra recostar,

O meu te ofereci sem pensar,

E o resultado foi bom.

Unimos nossas almas num instante,

Que ao virar amor, fecundou constante,

E a vida nos deu o tom.

 

O tom da eterna constância,

Os anos vividos tiveram relevância,

Cinquenta anos de amor.

Se hoje velhos estamos, não faz mal,

São coisas da vida, e é até surreal,

Que as Bodas nos cheguem com ardor.

 

Não olhes pra trás, não busques a nascente,

Filhos e netos são um belo presente,

Que nos deu o Criador.

Vivamos a vida em gratidão,

O tempo que resta, sem solidão,

E louvemos ao Senhor.

Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
Paulo C Freire
Escrito por:
Paulo C Freire
Escritor

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 09 de Fevereiro de 2020

Já foi visto 13 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Poesias


13
Leram
0
Vão ler

Tags

Textos Relacionados
Triste Composição

Por Claudenor de Albuquerque

O melhor é a separação

Por José Maria Amaranto

Você mente

Por Antoniele Santos

Quero um amor bom...

Por Lavínia Lins

Textos do Mesmo Autor
Reflexos sem nexo...

Por Paulo C Freire

O Contador de “Causos”

Por Paulo C Freire

Uma Santa Devoção

Por Paulo C Freire

Doce alma

Por Paulo C Freire

CREPÚSCULO NA ROÇA

Por Paulo C Freire