Portal Escritores

A TRAJETÓRIA DA ANTIGA BANDA FILARMÔNICA CANGARAÇO DA COMPANHIA DE FIAÇÃO E TECIDOS SÃO MIGUEL E O SURGIMENTO DE OUTRAS BANDAS DE MÚSICAS NO MUNICÍPIO DE SÃO MIGUEL DOS CAMPOS -AL.


 

A Companhia de Fiação e Tecidos São Miguel, também conhecida popularmente como Fábrica Sebastião Ferreira. Ela foi edificada pelo imigrante espanhol Bernardo Lopes, em 1913.
Nesta época, o empresário Bernardo Lopes, fundou naquele parque industrial uma banda filarmônica, formada por operários da própria fábrica.
Segundo reza a história, que a banda foi criada três anos, antes, da inauguração da referida fábrica, ou seja, 1910.
A banda filarmônica era comandada pelo maestro "Manuel Leite" e tinha a denominação de banda filarmônica, "Cangaraço".
Depois ela passou a ser dirigida pelo maestro José Moreira Pimentel, avô do maestro Bráulio Moreira Pimentel.
Quando Bernardo Lopes faleceu, seu filho Abelardo Lopes, deu continuidade a boa administração do pai, como também preservou a tradição cultural naquela localidade industrial.
Assim que assumiu o cargo na empresa, instalou em uns dos prédios da instituição, uma escola de música, batizada de "São Bernardo", especificamente para os filhos dos operários.
A escola "São Bernardo" era administrada pelos irmãos, Abelardo e Francisco Lopes, conhecido também, como "Irmãos Redondos". Ambos eram parentes do proprietário da fábrica.
A escola tinha como professor, o maestro e compositor, José Moreira Pimentel Filho e posteriormente seu filho, Bráulio Moreira Pimentel.
Com o passar dos tempos, a banda filarmônica, ganhou um novo nome, passando a ser chamada de "Lira Operária de Sebastião Ferreira".
A mesma era organizada pelos músicos, Otacílio Gonçalves e João Zacarias.
Quando Bráulio Moreira Pimentel, recebeu o registro de maestro, ele foi designado pelo proprietário da fábrica para comandar o destino da banda.
Nos tempos de carnavais, a banda de música, "Lira Operária de Sebastião Ferreira", se tornava na maior atração naquele povoado, onde os músicos tocavam para os operários e convidados do empresário, as tradicionais marchinhas em ritmo de frevos, animando assim, os foliões da fábrica e a sociedade miguelense, que vinham brincar o carnaval naquele lindo parque industrial.
Também a banda de música, "Lira Operária de Sebastião Ferreira", tocava música de louvor, nas procissões de Nossa Senhora das Dores, padroeira da indústria e de São Sebastião, protetor divinal do lugar.
Infelizmente, em 1971, quando a fábrica fechou, os músicos e os operários vinheram para a cidade, a maioria deles conseguiram empregos na Fábrica Vera Cruz, já outros foram tentar a sorte em outras localidades industriais.
Anos depois, com ajuda do prefeito Júlio Soriano Bomfim e a partipação de alguns músicos remanecentes da antiga banda de música, "Lira Operária de Sebastião Ferreira", o maestro Bráulio Moreira Pimentel, consegue fundar uma orquestra carnavalesca, intitulada de "Orquestra Carapeba". Fato que aconteceu em 1971.
Meses depois, o sábio maestro, cria em sua residência, uma escola de música, para jovens e adultos, crismada de escola de música, "São Miguel".
Bráulio Moreira Pimentel, também foi o responsável para a fundação da banda de música do município, nomeada de "José Plech Fernandes", em 1972.
Ainda hoje, a cidade de São Miguel dos Campos, vem mantendo a sua tradição musical, depois de Marechal Deodoro e Santa Luzia do Norte. São Miguel dos Campos, é considerado a casa dos músicos de Alagoas.
No município existe uma banda de música, que é, alimentada pela Prefeitura Municipal, e que tem, como maestro o professor, Florisjan Cahet.
A banda de música leva o nome do maestro Bráulio, ou seja banda de música "Maestro Bráulio Moreira Pimentel", além da banda, também existe na cidade, uma escola de música, denominada de "Francisco e Abelardo Lopes".
Uma homenagem prestada aos administradores da antiga escola de música da Companhia de Fiação e Tecidos São Miguel.
As duas instituições, foram criadas na gestão do prefeito Nivaldo Jatobá, em 2004.
Agora irei citar, alguns músicos da velha guarda, sem desmerecer os demais: Maestro Manuel Leite, Maestro José Moreira Pimentel Filho, José Palitó, Zé Tirititi, Antenor, Biu do Saque, Cido Gonçalves, Zé Pimentel, Pedrinho, João Zacarias, Mané Jacinto, Otacílio Gonçalves, Amistedan, Marechal Taxista, Ariel, Maestro Bráulio Moreira Pimentel, etc.

( Texto Escrito Por Ernande Bezerra de Moura )
























Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login