Portal Escritores

CoVid-19 (Corona virus disease)


CoVid-19 (Corona virus disease)

 

Foi na velha China misteriosa,

Terra antiga de gente orgulhosa,

Que surgiu essa triste novidade,

Que indo, não deixará saudade.

 

No princípio ela não tinha nome,

Se achegou na moita, com fome

Nas pessoas foi se instalando,

E sem esperar, as foi matando.

 

No princípio pareceu uma gripe.

Não era, atropelava feito jipe,

Invadia o pulmão, puxava o ar,

Tornou-se doença, difícil de curar.

 

Só na China matou aos milhares.

Fugiu, e foi para outros lugares.

Bateu na Europa, indo ao Vaticano,

Mas foi a Itália, a entrar pelo cano.

 

O papa determinou quarentena,

Suspendeu missa, reza e novena,

Fechou os portões e foi rezar,

Pedir aos Céus, pra doença acabar.

 

Na Itália a coisa virou calamidade.

Saúde aflita, corpo sem translade,

Fronteiras fechadas, país em pânico,

O vírus chegara, era transoceânico.

 

Viagem de Marco Polo às avessas,

Chegada “nas mansas”, sem pressas,

Foi entrando calado, bem de fininho,

E de repente o povo doentinho.

 

Bateu na Alemanha, Espanha a mil

Portugal, América e por fim o Brasil.

Antes doença pagã, agora batizada,

Um nome difícil, ganhou a danada.

 

Covid-19, esse é o nome da infeliz,

Pega novo, velho, uma meretriz.

Ninguém quer vê-la nem por perto,

Para todos um desejo justo e certo.

 

Mas a infeliz é que nem carrapato,

Quando pega, gruda até no sapato.

Quem não consegue, então se livrar,

Sem jeito morre, só resta enterrar.

 

A economia, nem fale. Virou um caos.

O povo sem trabalhar, paraíso dos maus.

O dólar nas alturas, bolsas sem euforia,

Cientistas perplexos buscando serventia.

 

É essa a situação, sem cura a vista,

A ciência ainda a procura de pista,

Vou me trancar e lavar cada mão,

Adeus minha viagem para o Japão.

 

O governo brasileiro resolveu endurecer,

Se não seguir as ordens, por certo vai perder,

Pegar cadeia, e quem sabe, pagar multa,

Então fui ao médico e hoje fiz consulta.

 

Ele recomendou calma e em casa ficar,

Pelo menos ele disse, até tudo se acalmar.

Recomendo a você a seguir o bom doutor

Pois é o que farei, eu serei um vencedor.

Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
Paulo C Freire
Escrito por:
Paulo C Freire
Escritor

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 20 de Março de 2020

Já foi visto 51 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Cordel


51
Leram
0
Vão ler

Tags

Textos Relacionados
Textos do Mesmo Autor
CREPÚSCULO NA ROÇA

Por Paulo C Freire

Viver, viver, viver

Por Paulo C Freire

Reflexos sem nexo...

Por Paulo C Freire

Arrasando a ortografia ...

Por Paulo C Freire

Coisas ...

Por Paulo C Freire