Portal Escritores

A Confidente


Num antigo sertão de matas, montanhas e campinas onde se localiza uma grande e antiga casa de fazenda, vive uma família muito especial e de grande valor. Ali, naquela casa grande de fazenda com sua arquitetura antiga onde a família ainda utiliza utensílios de modelo antigo, quadros na parede e todos os jarros de flores que existem nas salas são de flores naturais, pois, ali tem um jardim que também é sempre bem preservado, e as suas flores são colhidas com apreço para os jarros expostos pela casa. A cozinha e a mesa de jantar sempre bem decoradas e os castiçais e luminárias além de embelezarem aquele lar, ainda clareiam a casa na noite.

É que todo esse arranjo tem um cuidado e um toque salutar das mãos de uma empregada, uma governanta, ou podemos dizer, uma amiga da família de longas e longas datas, uma confidente. É Gertrudes, o braço direito da família.

Dizem que Gertrudes sempre fora amiga confidente, uma irmã, uma guru para Charlot, a senhora dona do fabuloso lar, casada com Joseph, os pais da pequena Maria.

Gertrudes desde sua infância sempre fora amiga de Charlote, ajudou a organizar a festa de noivado e depois o casamento da amiga, e assim, foi morar na casa da amiga, e ainda vive a ajudar a cuidar da pequena bebê, Maria.

É sabido por outros vizinhos fazendeiros que vivem nas proximidades que Gertrudes tem demonstrado sabedoria e cumplicidade até na administração daquele nobre patrimônio familiar, e que tem conduzido os trabalhos com os demais empregados com a melhor capacidade que uma boa governanta pode ter. Gertrudes, além de guardar os segredos, digamos, de assuntos e questões até nem tanto delicadas, guarda também até o segredo do cofre da família, o que para ela sempre foi o seu papel, ouvir e atender aquele amigo casal, guardar segredos, cuidar dos trabalhos do lar.

O poder da amizade entre Gertrudes e Charlot agora passou para além de uma amizade de longas datas e de muitas confidências desde a morte de Joseph que agora partira deixando o lar e a esposa em estado delicado de choque. A depressão e transtornos emocionais agora tomaram conta da frágil Charlot, e Gertrudes depara-se com um grande desafio: cuidar da amiga indefesa, continuar a criar a pequenina Maria, administrar o patrimônio familiar e passá-lo para as mãos de Maria quando tornar-se maior de idade.

É comovente entendermos como uma grande amizade de longas datas e de confidências pode desencadear situações na vida que requer a maior prova de fidelidade, amor, solidariedade e zelo pela vida. Esse é o verdadeiro testemunho de fidelidade e solidariedade que Gertrudes nos traz.

Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
Francisco Martins Silva
Escrito por:
Francisco Martins Silva
Escritor

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 21 de Abril de 2020

Já foi visto 114 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Crônicas


114
Leram
0
Vão ler

Tags

Textos Relacionados
Textos do Mesmo Autor
Mulheres

Por Francisco Martins Silva

Teatro, sagrada arte

Por Francisco Martins Silva

Manifesto de Paz

Por Francisco Martins Silva

A Barca

Por Francisco Martins Silva

A Despedida

Por Francisco Martins Silva