Tema Acessibilidade

SÃO MIGUEL DOS CAMPOS TAMBÉM CONTRIBUIU PARA QUE ACONTECESSE A INDEPENDÊNCIA DE DE ALAGOAS.

SÃO MIGUEL DOS CAMPOS, TAMBÉM CONTRIBUIU, PARA QUE ACONTECESSE A INDEPENDÊNCIA DE ALAGOAS.

O maior motivo para acontecer a Revolução Pernambucana foi o aumento dos impostos cobrados por Portugal que revoltaram completamente toda população da Capitania de Pernambuco, inclusive Alagoas que pertencia a esta capitania.
Muitos alagoanos aderiram a revolução foi o caso de Manuel Vieira Dantas da vila de São Miguel, de sua esposa Ana Lins, dos seus filhos Manuel Duarte Ferreira Ferro e Francisco Frederico da Rocha Vieira e dos voluntários, Rosa do Gentio e José Antônio Leão do distrito de Jequiá da Praia.
O engenho Sinimbu de propriedade de Ana Lins e Manuel Vieira Dantas foi uns dos principais pontos da revolução aqui em Alagoas.
O engenho Sinimbu tornou-se num verdadeiro campo de batalha contra às tropas de D. João VI.
Infelizmente, as tropas portuguesas venceram a
revolução, Ana Lins se entregou, já seu marido e seus filhos fugiram por dentro dos canaviais e tomaram destinos ignorados.
Desta vez, Ana Lins não foi presa, mas como castigo, as tropas portuguesas encendiaram os seus canaviais e destruíram os materiais da casa grande como também do seu engenho.
Ana Lins teve que reconstruir tudo de novo.
A dama de ferro como era conhecida Ana Lins foi condecorada na história de Alagoas como "A Heroína Alagoana".
Também dois fatos lamentáveis aconteceram nesta revolução foi a morte de José Antônio Leão, que foi esquartejado e as partes do seu corpo foram penduradas em estacas, por diversos pontos da Areia brancas da praia do Jequiá.
Antônio Leão teve o mesmo feitio de Tiradentes, ele é considerado na história como o Martin de Jequiá da Praia.
E o outro caso foi a prisão de Rosa do Gentio, que se vestiu de homem e se alistou como voluntário para combater os senhores de engenhos, quando os portugueses descobriram que era uma mulher, lhe amarraram num tronco de madeira e lhe deram varias chicotadas, depois de ser barbaramente castigada, retalharam todo seu corpo e sagaram, afim de descobrir o nome do engenho e do seu proprietário.
Ela suportou todo os castigos, morreu como uma guerreira, por não ter revelado o nome do engenho do qual pertencia e nem o nome do seu dono.
Rosa do Gentio é considerada na história como a "Heroína Negra de Alagoas" ou a Maria Quitéria das Alagoas.
Apesar dos pensares a Revolução Pernambucana contribuí bastante, para que Alagoas ganhasse a sua independência, fato que aconteceu no dia 16 de setembro de 1817.
Segundo reza a história que Ana Lins morreu satisfeita, pois seu desejo foi cumprido antes de morrer, seu maior desejo era de ver Alagoas separada de Pernambuco e o Brasil de Portugal.
Ana Maria José Lins, faleceu no dia 27 de abril de 1839.

(Texto Escrito Por Ernande Bezerra de Moura)

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados ao autor. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
0
105 visualizações •
Denuncie conteúdo abusivo
Ernande Bezerra ESCRITO POR Ernande Bezerra Escritor
São Miguel dos Campos - AL

Membro desde Junho de 2011

Comentários