Tema Acessibilidade

HISTÓRIA DO SOBRADO OU PALACETE, ATUAL CASA DA CULTURA DA CIDADE SÃO MIGUEL DOS CAMPOS - AL.

• Atualizado

SOBRADO OU PALACETE DA BARONESA, ATUAL CASA DA CULTURA.

Este lindo solar foi residência dos barões de São Miguel, Epaminondas da Rocha Vieira e Antônia Leopoldina da Rocha Vieira. Ele foi construído em 1827.
Epaminondas era filho de Francisco Frederico da Rocha Vieira e de Maria Accioly e neto de Ana Maria José Lins.
Seu pai participou da Revolução Pernambucana em 1817 e da Confederação do Equador em 1824, ao lado de Manuel Vieira Dantas, de Ana Lins e do seu irmão Manuel Duarte Ferreira Ferro, o "Barão de Jequiá".
Já Antônia Leopoldina era natural da cidade de Anadia, filha de Manuel de Morais Bastos e de Antônia Leopoldina Augusta da Rocha Bastos.
Sua mãe, Antônia Leopoldina Augusta da Rocha Cavalcanti era filha de Antônia Arnalda da Rocha Cavalcanti, filha de Ana Lins, neste caso, Antônia Leopoldina da Rocha Vieira era bisneta de Ana Lins.
Na história de Alagoas há duas versões, a primeira versão diz que Epaminondas da Rocha Vieira foi contemplado com o título de Barão de São Miguel com grandeza, no dia 18 de dezembro de 1870, concedido pelo rei de Portugal, Dom. Luís, em atenção ao valioso danativo que fez a um estabelecimento de caridade na cidade de Setúbal.- Portugal. O título foi outorgado pelo Imperador Dom. Pedro II na sua passagem por Alagoas. Estas imformações estão publicadas nos livros: " Fatos, Personagens, História de São Miguel dos Campos, de Maria Acioly Cavalcanti e História de São Miguel dos Campos, de Guiomar Alcides de Castro.

Já a segunda versão afirma que o barão foi outorgado com o título de Barão de São de Miguel sem grandeza, concedido pelo rei de Portugal, Dom Luís, em 18 de dezembro de 1878. Segundo o site: www.historiadealagoas.com.br

Pelos novos estudos dos historiadores, eles acham, que a segunda informação é a mais correta.

Apesar da mudança, Epaminondas da Rocha Vieira,não perderá o título nobiliarquico, continuará na história de Alagoas, como Barão de São Miguel.

O barão faleceu em 20 de julho de 1897 e a baronesa em 27 de maio de 1914. Ambos, estão sepultados no Cemitério de Nossa Senhora da Consolação, na cidade de São Miguel dos Campos.

O sobrado ficou batizado na história de Alagoas, como: "Sobrado ou Palacete da Baronesa".
Depois da morte dos barões, o sobrado passou a pertencer ao estado.
Também já funcionaram no local, a Prefeitura Municipal, a Recebedoria Estadual, o Tribunal de Júri e a Cadeia Pública.
Em 04 de fevereiro de 1984, ele foi transformado numa Casa de Cultura, na gestão do prefeito Wellington Torres, do Governador Divaldo Suruagy e do Secretário de Educação e Cultura do Estado de Alagoas, Professor e Historiador, Douglas Apratto Tenório.
O Sobrado da Baronesa foi tombado como Patrimônio Histórico e Cultural do Estado de Alagoas, pelo decreto estadual de número, 8.531 de 20 de outubro de 2010.
Atualmente funcionam na Casa da Cultura, os seguintes compartimentos culturais e educacionais: O Museu Histórico e Cultural Fernando Lopes, a Biblioteca Guiomar Alcides de Castro, o Tele Centro de Informática e a Academia Miguelense de Letras e Artes - AMILA.
A Casa da Cultura fica localizada na Rua Visconde de Sinimbu, número 60, no centro da cidade.
O belíssimo Palacete da Baronesa, tem muitas histórias para contar e faz parte dos 519 anos do descobrimento do Rio São Miguel e dos 156 anos da Emancipação Política do Município de São Miguel dos Campos.

(Texto Escrito Por Ernande Bezerra de Moura )

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados ao autor. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
0
±100 visualizações •
Atualizado em
Denuncie conteúdo abusivo
Ernande Bezerra ESCRITO POR Ernande Bezerra Escritor
São Miguel dos Campos - AL

Membro desde Junho de 2011

Comentários