Tema Acessibilidade

JANELA DA QUARENTENA

JANELA DA QUARENTENA

Pela janela da vida

Vi o mundo ser abalado

Sem bombas, sem estrondos

Tudo ficou embaçado.

Inesperadamente, muitos irmãos

Foram levados pelo corona vírus

Para marar

Embaixo do chão.

O sentimento de tristeza e dor

Partiu meu coração

O planeta terra foi atingido

Sem dó, sem compaixão.

O ano dois mil e vinte

Sempre será lembrado

Marcado pela COVID 19

Que deixou toda humanidade assustada.

Hospitais lotados

Portas fechadas

Meu Deus, que desespero!

Lamentos, e lamentos

Muitas lágrimas derramadas.

De todas as partes do mundo

A televisão mostrava

As tristes notícias

E a cura não chegava.

É a magoa que envolve

O coração de quem fica

É grande o vazio

Pela triste partida.

Todas as classes

Foram atingidas

Homens, meninos, ou mulheres

Ricos, pobres, analfabetos, ou bacharel

Todos na mesma situação

Partiram para o Céu.

Os dias passavam

Os meses também

As notícias corriam ligeiro

O Brasil ficou em luto

Pela morte de cento e vinte mil brasileiros.

A medicina, em sua sabedoria

Chegou a plenitude

Procurando a cura

Por noite e dia.

Fez tudo ao seu alcance

Fez o que podia

Para o mundo ficar mais leve

Desta péssima epidemia.

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados ao autor. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
0
±100 visualizações •
Denuncie conteúdo abusivo
Vanildo José Tavares ESCRITO POR Vanildo José Tavares Escritor
Santana do Ipanema - AL

Membro desde Novembro de 2018

Comentários