Tema Acessibilidade

Logo eu

• Atualizado
Como poderei cuidar do seu amor?
Logo eu, esse poço caótico e sem pudor.
Como podes ser tão bondoso comigo ?
Tu, mesmo ferido,
passa unguento nas minhas lesões mostruosamente abertas.
Como podes me chamar de seu amor
se nem eu me amo tanto assim?!
Ah, queria eu poder te chamar de meu...
Não se iluda comigo!
Serei eu uma farsa?
Uma ilusão?
Um desequilíbrio momentâneo?
Você é incrível!
Até quando tem medo de me perder
e perde a razão
Logo você, o racional da relação!
Mexo com sua cabeça
mas queria mexer minha cintura
e enroscar meus quadris aos seus,
teus lábios aos meus...
Será você um pequeno devaneio meu ?
Uma miragem que só posso admirar ?
Um caminho que não poderei trilhar ?
Me mostre as tintas que pintaram os seus quadros.
O que queres que eu veja ? Me mostres.
Aos seus quadros não me permito interpretações equivocadas
ou mal contadas.
Quero te ver,
Que cores pintartes a sua alma ?
Deixe-me tocar aalma doce e feroz que você reluz.
Vejo no profundo dos teus olhos,
um lugar que estranhamente me seduz...
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados ao autor. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
1
±500 visualizações •
Atualizado em
Denuncie conteúdo abusivo
Vanessa ESCRITO POR Vanessa Escritora
Jequiá da Praia - AL

Membro desde Setembro de 2021

Comentários


Outros textos de Vanessa