9º Encontro dos Escritores
Portal Escritores

O Final do Carnaval


 
A última purpurina
Da quarta feira de cinzas
Empresta seu tom de saudade
Grudada ao suor de quem pula
E a alegria aparentemente infinita
termina levando consigo a música
Quem trabalha no outro dia
Junta seus cacos e se manda
Deixando as solitárias purpurinas
Pro pessoal da limpeza dar conta.
 
 
Claudenor de Albuquerque

                                                          

Da quarta feira de cinzas
Empresta seu tom de saudade
Grudada ao suor de quem pula
E a alegria aparentemente infinita
termina levando consigo a música
Quem trabalha no outro dia
Junta seus cacos e se manda
Deixando as solitárias purpurinas
Pro pessoal da limpeza dar conta.
 
 
Claudenor de Albuquerque
A última purpurina
Da quarta feira de cinzas
Empresta seu tom de saudade
Grudada ao suor de quem pula
E a alegria aparentemente infinita
termina levando consigo a música
Quem trabalha no outro dia
Junta seus cacos e se manda
Deixando as solitárias purpurinas
Pro pessoal da limpeza dar conta.
 
 
Claudenor de Albuquerque
A última purpurina
Da quarta feira de cinzas
Empresta seu tom de saudade
Grudada ao suor de quem pula
E a alegria aparentemente infinita
termina levando consigo a música
Quem trabalha no outro dia
Junta seus cacos e se manda
Deixando as solitárias purpurinas
Pro pessoal da limpeza dar conta.
 
 
Claudenor de Albuquerque
A última purpurina
Da quarta feira de cinzas
Empresta seu tom de saudade
Grudada ao suor de quem pula
E a alegria aparentemente infinita
termina levando consigo a música
Quem trabalha no outro dia
Junta seus cacos e se manda
Deixando as solitárias purpurinas
Pro pessoal da limpeza dar conta.
 
 
Claudenor de Albuquerque

Comentários

Mariane Rodrigues
Mariane Rodrigues 10 de Setembro de 2010 às 22:02

Querido, amei sua observação carnavalesca. É tudo assim mesmo. Deixa aquela saudade. Aquele barulhinho ainda no ouvido na manhã de quarta-feira de cinzas, maravilhoso. Gostei mesmo, parabéns!

Claudenor de Albuquerque
Claudenor de Albuquerque 11 de Setembro de 2010 às 00:58

Muito obrigado pela sua mensagem. É totalmente verdade mesmo. Grande abraço

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
Claudenor de Albuquerque
Escrito por:
Claudenor de Albuquerque
Escritor

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 10 de Setembro de 2010

Atualizado em 19 de Setembro de 2014

Já foi visto 2,251 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Poesias


2,237
Leram
0
Vão ler

Tags

Textos Relacionados
Críticas

Por Claudenor de Albuquerque

Por quê?

Por Cleide Vanderley

Era carnaval...

Por Dilucas

Pessoas.

Por Escritor Leandro Campos Alves

Textos do Mesmo Autor
Concebendo Poesias

Por Claudenor de Albuquerque

Um Soneta Sobre a Mesmice

Por Claudenor de Albuquerque

Rotina cretina

Por Claudenor de Albuquerque

A Breve História de Um Breve Verso

Por Claudenor de Albuquerque

O verdadeiro Poeta

Por Claudenor de Albuquerque