Portal Escritores

Um Soneta Sobre a Mesmice

 

O sempre corrói
O animus vivendi
Dói
Sempre.
 
 
O sempre usurpa
Instinto de liberdade
Estupra
A sagacidade.
 
 
Do sempre se extrai
Linha reta
A paz.
 
Água parada
Brisa salgada
Calma sagrada.
 
 
Claudenor de Albuquerque

Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
Claudenor de Albuquerque
Escrito por:
Claudenor de Albuquerque
Escritor

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 11 de Setembro de 2010

Atualizado em 19 de Setembro de 2014

Já foi visto 923 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Poesias


919
Leram
0
Vão ler

Tags

Textos Relacionados
ENCANTOS

Por Lucélia Pontes

Canta à tua Deusa nua.

Por Mariane Rodrigues

O Triste Fim de Um Amante da Rotina

Por Claudenor de Albuquerque

Livro

Por AdrianoRockSilva

A estrela pode brilhar?

Por Leonardo Jordão

Textos do Mesmo Autor
Um Soneto Sobre a Mesmice

Por Claudenor de Albuquerque

Autoria

Por Claudenor de Albuquerque

Vida Incerta, A Melhor Descoberta

Por Claudenor de Albuquerque

O verdadeiro Poeta

Por Claudenor de Albuquerque

Um Dia de Internauta

Por Claudenor de Albuquerque