Portal Escritores

A gata

Ela não tinha nome.

Comportava-se pacientemente

Ao barulho da faca na pedra de amolar,

Eu nunca falei da sua habilidade.

Assassinaram a pobre e magra felina.

Crueldade!

 

Hoje não posso escrever, meditar...

Pois o barulho dos ratos nas panelas,

No saco de lixo, nos papéis amassados,

Esse barulho chega a me incomodar.

Parece que os roedores estão arrastando o fogão.

Maldade!

 

Que saudade da magra felina!

Hoje a casa é quartel general

Para um exército de camundongos e baratas.

Assassinaram a magra e eficiente felina.

Eliminaram a habilidosa e magra felina.

Total crueldade!

Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
Majal-San
Escrito por:
Majal-San
Escritor

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 26 de Janeiro de 2015

Já foi visto 641 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Poesias


627
Leram
0
Vão ler

Tags

Textos Relacionados
A CASA...

Por DYVALENTIM(DIVACY LEMOS)

ACORDEI...

Por DYVALENTIM(DIVACY LEMOS)

Saudosa Memória

Por jjtavares

Ranchinho De Sapé

Por tonyramos

Extremos

Por Majal-San

Textos do Mesmo Autor
Mas, que maldade!

Por Majal-San

Acalanto

Por Majal-San

Triste voyeur

Por Majal-San

Obscuro

Por Majal-San