AMIGO INFIEL

Antonio Batista Antonio Batista 19 de Janeiro de 2018

 Porque companheiro, amigo irmão,

 Usas perfidamente comigo, magoando o meu coração?

 Porque querido amigo se levantas contra mim?

 Porque procedes desse jeito agindo assim?

 Se diante de nosso Deus, isto não é bom,

 Isto é muito mal, isto é muito ruim.

Tu meu amado irmão, que pregas a paz, o amor e a verdade

 E usas com teu próximo com falsidade.

Ah, meu querido, se Deus é fiel,

Onde na eternidade será teu céu?

Se estás em uma conversa, falas de sinceridade,

Mas no mesmo momento que chega outra pessoa ao teu lado,

Passas a usar comigo de falsidade,

Pensas tu que não vejo, e que não percebo.

Pobre hipócrita, engano teu!

 Como és falso, como és iníquo,

Quando falas comigo finges atenção, mas piscas os olhos,

 Faz sinais com os pés e acenas com as mãos;

 Aí está o segredo meu amigo, que triste ação...

 É porque na verdade há perversidade no seu coração.

Amigo covarde, falso e traiçoeiro, desleal e infiel,

 Te arrependas, sejas um homem íntegro e fiel.

 Mude esta prática, o modo de agir, e o seu modo de falar.

 Seu sorriso, suas palavras são amargas como fel.

Amigo amado, ainda há tempo de buscares o céu.

 Deus meu Deus, meu amado Pai,

 Meu verdadeiro Deus e Senhor,

 Cuida de mim, com este teu sublime e excelso amor.

Que sobre mim não se rejubilem,

 Aqueles, que traíram a minha amizade,

Nem permitas que esses inimigos gratuitos

Troquem olhares de escárnios,

E que nunca, mas nunca mesmo meu Pai,

Eles triunfem sobre mim.

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados ao user. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do user.
Denuncie conteúdo abusivo
Antonio Batista ESCRITO POR Antonio Batista Autor
Coruripe - AL

Membro desde Julho de 2012

Comentários