Portal Escritores

Vozes


 

 

Já vi diferentes pandilhas

Agindo naturalmente,

E eu como simples expectador...

Ouvindo vadios gritando,

Não eram vozes normais,

Gritavam como animais:

O grasno dos sapos,

O chio dos ratos,

O silvo das cobras,

O mugido dos bois,

O ronco dos porcos,

O uivo das raposas,

O farfalho dos morcegos,

O sussurro das corujas,

O bramido dos leões.

 

São animais sujos,

São desordeiros perigosos

Que às vezes fogem

Como simples patos grasnantes.

 

                  

Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
Majal-San
Escrito por:
Majal-San
Escritor

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 26 de Julho de 2018

Já foi visto 200 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Poesias


200
Leram
0
Vão ler

Tags

Textos Relacionados
Sem palavras

Por Majal-San

Missa

Por Majal-San

Cana de Açucar

Por Emanuel Galvão

Dos Excluidos

Por Emanuel Galvão

Textos do Mesmo Autor
Analogia

Por Majal-San

Via

Por Majal-San

Concreto

Por Majal-San

O escolho

Por Majal-San