Missa

Majal-San Majal-San 29 de Julho de 2018

 

 

O odor forte da hipocrisia

Penetra (fulminante)mente as minhas narinas.

Seres robotizados sentam, levantam, sentam,

Cantam, repetem, calam, ouvem,

Prometem, não cumprem.

 

Alguns, pacientes, esperam

O término da celebração – o orador não cala.

 

Alguns, impacientes, esperam

Os petiscos, a cevada, o álcool – não vêm.

 

O cisco da bondade efêmera

Penetra, cortante, os meus olhos.

Seres robotizados perdoam e se emocionam,

Têm esperanças – quem sabe realizações?

 

Seres que rezam pela paz

E difamam o vizinho.

Seres que rezam pela paz

E ao mesmo tempo me observam.

 

O que veem? Não sei! Amém!

 

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados ao user. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do user.
Denuncie conteúdo abusivo
Majal-San ESCRITO POR Majal-San Escritor
Maceió - AL

Membro desde Julho de 2012

Comentários