Portal Escritores

Gaiolas

Lança-te em mim

Quase não reconheço

Do meu quarto, parado, pensando

Não reconheço aquele medo.

 

No longe as palavras se difundem

Mostram dentro de mim o interno que não sou

Que não vou, que não é

Não sei por vocês, mas aquela mulher, ali

Tem tudo haver comigo

E… Sou eu.

 

Por debaixo dos panos, somos parecidíssimos.

Iguais

Nos totais, apenas humanos.

O que há de tão orgulhoso

Soltar teus passarinhos?

 

Se não sabem mais voar,

Então deixa ele aprender

O prazer que é tentar.

Tentando, a gente espera fazendo.

Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
Virgínia Tavares
Escrito por:
Virgínia Tavares
Autora

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 24 de Agosto de 2018

Já foi visto 222 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Prosa Poética


222
Leram
0
Vão ler

Tags

Textos Relacionados
Poema Sujo

Por Talvanes Faustino

Soneto do poder dizer

Por Leonardo Jordão

Batalha vital

Por AdrianoRockSilva

Soneto do ver

Por Leonardo Jordão

Grandioso grão

Por AdrianoRockSilva

Textos do Mesmo Autor
O tempo

Por Virgínia Tavares

Inter-tempo

Por Virgínia Tavares

Movimento Urbano

Por Virgínia Tavares

ANTES DE CANTAR

Por Virgínia Tavares