Tema Acessibilidade

se eu danço, as silhuetas dançam

preciso de algo mais alto,
em torno de cinquenta decibéis.
que os tímpanos gritem
e eu os ignore.
que minha alma vibre
e se despedace como um copo
de vidro ou que só compense o
tempo perdido,
ou que só viva na frequência
da solução dos meus problemas.
que minha inconsciência entenda
o barulho que faz minha alma.

e na ruína, eu danço sobre as vibrações
derramadas pelo excesso da margem.
as silhuetas formam pares e dançam também.
eu lembro da bailarina, a música para e
eu me disperso, meu bem.
estendo a mão, mas não era ninguém.

*uma luz estroboscópica acende
e os universos se equivalem*

-intnt

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados ao autor. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
0
±100 visualizações •
Denuncie conteúdo abusivo
Internauta ESCRITO POR Internauta Autor
Nova Iguaçu - RJ

Membro desde Junho de 2020

Comentários