Tema Acessibilidade

Hemorragia

Não se trata de uma aula de primeiros socorros, apenas de uma doce lembrança esporádica da minha ultima visita ao fundo do poço.
• Atualizado
Nossa história foi escrita com navalhas,
As mesmas que hoje sangram meus pulsos
E o pior dos impulsos,
Certamente é o de estar vivo pra te ver sorrir.
Tuas mãos espinhosas não me deixam fugir
Elas prendem meu pescoço e não me deixam sair.
Eu sei, não existe escapatória!
Ouço os sussurros...
E apenas as pisadas tortas e infames dessa louca
Causam-me os pesadelos mais obscuros.
Eu sei, minha fragilidade é notória!
Track! É o som do quebrar dos meus ossos.
Essa é a lembrança mais real da minha última visita ao fundo do poço,
Sinto tanta vergonha e desgosto!
Só de imaginar minha loucura
De um dia me entregar à doçura
Do prazer de te odiar!
Eu sei, é uma perversidade ilusória!
Meu riso se abriu quando senti a marca do ferro quente
Foi o alivio da dor da morte,
Não achei que teria a sorte
De tão cedo a encontrar!
Mas tu não contavas com uma borboleta
Que desatou as cordas que me sufocavam,
Limpou as feridas que já não saravam
E me entregou os beijos que me aliviaram.
Eu sei, ela vem voando cada vez mais perto!
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados ao autor. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
0
±100 visualizações •
Atualizado em
Denuncie conteúdo abusivo
Ramon Silva ESCRITO POR Ramon Silva Escritor
Coruripe - AL

Membro desde Setembro de 2014

Comentários


Outros textos de Ramon Silva