Tema Acessibilidade

Clóvis

Vulgo Ramon
Ele, a solidão e as drogas das tuas palavras.
Um dilema sufocante entre
Falar e sentir.
Escrevendo unicamente para fugir
(Pois de tudo que ocultei
Não diferencio o que apenas pensei
Das coisas que falei).
Que detestável é isto Clóvis!
Meu sangue escorre enquanto pulsa
Coagulando nos seus olhos a repulsa
Das coisas detestáveis que tens vivido.
Clóvis tem seu coração ferido
E na busca por alívio
O suor deliza por sua pele.
Insiste em amar a Clóvis?
Mas perduras com esta indiferença ácida e infecciosa?
Nas entrelinhas sei o quanto és maldosa.
E no teu ar de maldade me acorda
Para me servir uma cadeira e uma corda!
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados ao autor. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
0
±500 visualizações •
Denuncie conteúdo abusivo
Ramon Silva ESCRITO POR Ramon Silva Escritor
Coruripe - AL

Membro desde Setembro de 2014

Comentários


Outros textos de Ramon Silva

Poesias
Sem Venda nos Olhos
Ver, vir, ávido por você! Quem dera o sentir fosse suficiente, mas meus olhos agora enxergam a tua sensação.