Tema Acessibilidade

CRIMES DE GUERRA! (1)

Ora, não seria redundância nenhuma, afirmar com todas as letras que a (s) guerra (s), já seriam um crime...

Qualquer que seja sua justificativa, qualquer que seja o argumento que se use, a guerra, é o último dos recursos, para violentamente tentar submeter um (Estado) "agressor", tentar fazer valer um "direito", tentar estabelecer normas e fronteiras, tentar restabelecer regras, leis(ou algo similar), etc., sempre, através do uso de armas, o que, no mínimo já seria um crime...

Qualquer que seja o argumento que se use e se dê, para justificar uma invasão ou morte de um ou mais criminosos, que seja, sob o pretexto de uma anterior agressão, é violento, vil, degradante e desprezível, desde que um milhar de pessoas, percam suas vidas em consequência disso!

Tentar restabelecer a paz através da força é sim, uma afirmativa e uma atitude completamente incoerente!!!

Obviamente, as indústrias das armas, não pensam dessa forma, e por essa maneira de agir e de pensar, a morte de pessoas inocentes, incluindo crianças, velhos, mulheres, etc., é apenas efeito colateral, para o "estabelecimento de um direito maior conquistado através de um inevitável conflito!"

Dessa forma, fica de fato provado, que a humanidade, apesar de evolução da tecnologia e Ciência, em matéria de comportamento, ainda está defendendo os mesmos princípios que defendiam os combatentes da pré história ou pouco depois da vinda do Cristo até os dias atuais, usando daquela mesma justificativa de alcançar um grande objetivo, quando na verdade, o que existia e existe por trás de tudo isso, de toda e qualquer espécie de guerra é a manifestação do egoísmo, da satisfação da ambição, do desrespeito aos direitos humanos e o desejo de posse e extensão de limites de terras e de poder, tão somente!

Ao término desses estúpidos combates, o que resta são escombros, milhares de mortos e alguns governantes comemorando seu grande feito, retornando aos seus gabinetes (se for o caso) satisfeitos com sua missão cumprida, observando do alto de sua dominação, pilhas e pilhas de ferro e concreto armado, onde existiam habitações, entre escolas, hospitais, mercados, comércio, etc., contendo sob, milhares de cadáveres que nunca poderão ter sequer um inscrição numa cova rasa!

Em resumo, conforme o acima dito: a guerra, por si só, já um crime, que deverá ser evitado, nas próximas gerações mais racionais!

----------------------

- (1) O uso da força que não seja em legítima defesa ou autorizado pelo CSNU, bem como ignorando algum dos princípios analisados, pode gerar a responsabilização internacional por Crime de Agressão, tema de alta relevância no contexto atual, frente à ativação da competência do Tribunal Penal Internacional para seu julgamento.

Por sua vez, osCrimes de Guerradizem respeito à violação das normas que regulam os conflitos armados em andamento, contidas noDireito Internacional Humanitário. Diferentemente dos Crimes de Agressão, que controlam quando é possível que uma guerra seja iniciada, o DIH trata das condutas dos combatentes em um conflito já iniciado (muitos o chamam deJus In Bello).

O DIH busca limitar o sofrimento humano no contexto de conflitos armados, tanto internos quanto internacionais. Esses sofrimentos devem evitados a todo custo, de forma que é necessário que se faça o possível para conter os impactos sobre não combatentes. O Comitê Internacional da Cruz Vermelha define o DIH da seguinte forma:

"O Direito Internacional Humanitário é um conjunto de normas que procura limitar os efeitos dos conflitos armados. Protege as pessoas que não participam ou que deixaram de participar nas hostilidades, e restringe os meios e métodos de combate. O Direito Internacional Humanitário (DIH) é também designado por 'Direito da Guerra' e por 'Direito dos Conflitos Armados".

O acesso de ajuda humanitária, como caminhões com alimentação e medicamentos, por exemplo, é constantemente solicitado pela ONU e não deve ser restringido. NaGuerra da Síriaforam frequentes as críticas da ONU quando a passagem desses recursos era impedida por adversários. Em síntese, não se pode utilizar o sofrimento humano, seja afome, doenças ou acesso a serviços básicos, como estratégia de guerra. Trataremos mais a fundo desses aspectos ao nos debruçarmos sobre o DIH. (Fonte: POLITIZE)

Copyright © 2023. Todos os direitos reservados ao autor. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
0
±1000 visualizações •
Denuncie conteúdo abusivo
Jfranck ESCRITO POR Jfranck Autor
Bofete - SP

Membro desde Novembro de 2023

Comentários


Outros textos de Jfranck

Crônicas
SPEAKING OF WAR...
There is no way to speak of conflict, battle, war, Senate, etc., without necessarily having to go back to the story of Julius Caesar (1) and also of Alexander the Great (2), who, according to historians...
Crônicas
SAY WAR CONFLICT...
The first name that comes up in the popular imagination when talking about atrocities, war crimes, genocide, etc., while also talking about technology, weaponry, etc., is his name at the head of it all: ADOLF H
Crônicas
ONE THING I'M GOING TO SAY UNFORTUNATELY...
But, the great "villain" of all this, without a doubt is: "the desire of the population!" Yes, always looking for a "superman" to solve your situation!
Crônicas
AND TALK ABOUT PEACE... IS IT UTOPIA?! (1)
(...) They will immediately answer "which is the next path they will follow..."