Portal Escritores

p o e t a torto

Sou um poeta torto:

escrevo, escrevo e não conserto

meus pensamentos.

 

Sou um vivente angustiado

que não consegue decidir

entre o ficar e o partir,

entre o amar e o fugir.

 

Estando sempre entre dois polos,

me encarrego de tentar seguir equilibrado,

mesmo que por singelos momentos.

 

Mas, às vezes, meu trapézio é traiçoeiro

e me joga ao chão quando estou bem lá no alto,

quase livre.

 

Caído, não sinto dor,

apenas uma forte sensação de abandono,

enquanto ouço os risos da plateia,

que me olha com desdém.

 

Sou um poeta torto: não consigo, ao menos,

manter-me ereto em meu palco.

Sou torto como meu verso.

Esse que tanto prezo e desprezo quando estou furioso.

 

Sou torto, triste, traiçoeiro, tirano.

Sou trapezista do verso e do reverso.

Sou da nova tropa...  do livre escrever.

 

Penélope SS

19/10/07   18h:33

Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
AdrianoRockSilva
Escrito por:
AdrianoRockSilva
Autor

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 18 de Julho de 2011

Já foi visto 767 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Poesias


763
Leram
0
Vão ler

Textos do Mesmo Autor
ESPELHO PORTUGUÊS

Por AdrianoRockSilva

— AR (A minha querida esposa)

Por AdrianoRockSilva

amor e lágrimas

Por AdrianoRockSilva

Quadrinha da chuva que cai

Por AdrianoRockSilva

Meus amigos

Por AdrianoRockSilva