Portal Escritores

Quente aqui como outrora

Quente é aqui onde estou. Nesse chão

Despejo meu suor, gota a gota. São

Como lágrimas de meu sal;

Como o sofrer de Portugal.

 

O indo e vindo de suas naus

Oceanos a fora; tormentas, glórias.

Homens ao mar; velas ao vento. Vitórias

À coroa e sangue e ais aos desterrados. Mal

 

Te digo neste dia infernalmente caliente.

Jogai tuas esperanças em outras índias,

Outras rotas. Bem sabeis tu as perfídias

 

Que incutistes neste chão de gentis gentes;

Deuses convertidos; fé, roupas e genes.

Onde piso é quente, como de Tupã a ira.

 

 

Penélope SS

24-4-15  22h:58

Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
AdrianoRockSilva
Escrito por:
AdrianoRockSilva
Autor

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 24 de Maio de 2015

Já foi visto 393 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Poesias


392
Leram
0
Vão ler

Tags

Textos Relacionados
Passarinhos

Por Antoniele Santos

País do Transporte

Por José Maria Amaranto

Súplica Póstuma

Por Claudenor de Albuquerque

Poema Sujo

Por Talvanes Faustino

Nada é findo

Por AdrianoRockSilva

Textos do Mesmo Autor
Ignorante

Por AdrianoRockSilva

Você me quer?

Por AdrianoRockSilva

Angústia

Por AdrianoRockSilva

Você

Por AdrianoRockSilva