Portal Escritores

Red


Red

 

 

Havendo dores?

Que haja, que dilacerem entranhas e glóbulos,

todos os caminhos que levam ao sofrido coração.

Havendo dores?

Que haja rios e mares

Que haja purificação no fim de todo penar.

 

Rio minhas agruras e amarguras

Por entre ruas e brumas

E pontes que me transferem do fosco ao red.

 

Quem disse que aqui estou?

Há horas distantes durante o duro do dia;

Há versos que vareiam e varrem o vislumbre

Dos meus pequenos olhos tristes.

 

Acinzentei-me

Contrastei-me

Tornei-me lente

Calmamente

Pacientemente

 

Deitei-me e aguardei o fim da neblina;

Refleti enquanto fora do meu refúgio

Se debatiam os sábios e incultos.

 

Findo est

 

 

Penélope SS

8-6-15   00h:07

Comentários

Deixe seu comentário

Para enviar um comentário você precisa estar logado: login
AdrianoRockSilva
Escrito por:
AdrianoRockSilva
Autor

Visão Geral do texto

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Publicado em 13 de Junho de 2015

Já foi visto 494 vezes

Favorito de 0 leitor

Categoria Poesias


491
Leram
0
Vão ler

Tags

Textos Relacionados
Textos do Mesmo Autor
Homenagem aos Lumière

Por AdrianoRockSilva

Quimera maceioense

Por AdrianoRockSilva

Riso teu

Por AdrianoRockSilva

lamento diante da dor de Cristo

Por AdrianoRockSilva